A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um vírus e transmitida por mosquitos. A doença é considerada aguda e hemorrágica e recebe este nome, pois causa amarelidão do corpo (icterícia) e hemorragia em diversos graus. O vírus é tropical e mais comum na América do Sul e na África. Apesar de ser considerado um vírus perigoso, a maioria das pessoas não apresentam sintoma e evoluem para a cura.
Você sabia? Ao contrário de algumas crenças populares, os macacos não transmitem a doença! 

O que é?

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano.
O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa.
A doença têm importância epidemiológica por sua gravidade clínica e potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti (ou mosquito da dengue).

Como ela se transmite?

A doença costuma ser transmitida por mosquitos, principalmente o Aedes aegypti (em áreas urbanas) e o Haemagogus (em áreas rurais). O mosquito é infectado ao picar uma pessoa ou animais com a doença e então desenvolve a doença e passa a transmiti-la para quem ele picar.
Existem dois ciclos da doença:

  • Silvestre: em que mosquitos destas regiões se infectam picando primatas com a doença e podem transmitir a um humano que visite este habitat
  • Urbana: em que um humano infectado anteriormente pela febre amarela silvestre a transmite para mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti, que a espalham.

Macacos podem transmitir a doença?

O macaco não transmite a doença para os humanos, assim como uma pessoa não transmite a doença para outra.
A transmissão se dá somente pelo mosquito, desta forma não há relatos de transmissão da enfermidade direta entre pessoas. Os macacos ajudam a identificar as regiões onde estão acontecendo a circulação do vírus e com estes dados, o governo distribui estrategicamente as vacinas no território nacional.

Como saber se estou com doença?

Muitas pessoas que contraem a enfermidade não apresentam sintomas, porém se você apresentar a maioria dos sinais abaixo, fique atento.
Teve febre de repente?

  • Está com dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas?
  • Está com dor de cabeça?
  • Está com falta de apetite?
  • Sente náuseas?
  • Está vomitando?
  • Seus olhos, rosto ou língua estão avermelhados?
  • Seus olhos estão sensíveis a luz?
  • Se sente cansado e fraco?

Se você respondeu sim a maioria dessas perguntas isso pode ser um sinal que você contraiu a doença e está na fase aguda. Os sintomas nesta fase aguda costumam durar entre três e quatro dias e passam sozinhos.
A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

  • Sua febre voltou? 
  • Sua pele ou olhos estão ficando ou já estão amarelos?
  • Seu xixi está escuro?
  • Está com dores abdominais?
  • Sua boca, nariz, olhos ou estômago estão com sangramentos?

No entanto, uma pequena porcentagem de pessoas pode desenvolver sintomas mais graves cerca de 24 horas após a recuperação dos sintomas mais simples. 

Como tratar?

Não existem medicamentos específicos para destruir o vírus, reverter o quadro clínico e evitar as complicações da enfermidade. O doente deve permanecer em repouso,  em ambiente hospitalar e sob cuidados médicos para evitar as complicações graves da doença.
O único tratamento possível é o de suporte. Basicamente, ele consiste em manter o paciente bem hidratado e introduzir drogas para equilibrar a pressão arterial, corrigir os desequilíbrios metabólicos e aliviar os sintomas. Assim como na dengue, o uso de remédios  que contenham ácido acetilsalícilico é contraindicado, porque aumenta o risco de sangramentos.

Como prevenir?

Uma forma de prevenir a transmissão da doença é evitar a proliferação de mosquitos vetores. As larvas do mosquito nascem e se criam em água parada. Por isso, evitar esses focos da reprodução desse vetor é a melhor forma de prevenir a enfermidade. Veja como eliminar o risco:

  • Evite o acúmulo de água;
  • Coloque areia nos vasos de plantas;
  • Limpe as calhas;
  • Coloque desinfetante nos ralos;
  • Coloque tela nas janelas;
  • Faço uso de inseticidas e larvicidas;
  • Aposte nos repelentes.

Outra forma de prevenção é a vacina. A vacinação é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a forma mais importante de prevenir a febre amarela. Tanto que é a vacinação frequente que impede que a doença de espalhe mesmo em áreas de risco

Dúvidas sobre a vacina

Onde é possível encontrar a vacina contra a febre amarela?

A vacina está disponível na rede pública nos postos e unidades de saúde das cidades, assim como em hospitais especializados em infectologia e epidemiologia. Você pode encontrar os postos autorizados no site da Secretaria de Saúde do estado em que você mora.

Como funciona a vacina?

A vacina desta doença é aplicada via subcutânea, na região do braço. O efeito protetor ocorre a partir do décimo dia depois de ter tomado a vacina e garante imunidade por pelo menos 10 anos. A vacina age estimulando o organismo a produzir sua própria proteção contra o vírus.

Quem não deve tomar a vacina contra a febre amarela?

A vacina é contraindicada para gestantes, mulheres que estão amamentando, crianças até seis meses de idade. Pessoas imunodepressivas, como pacientes oncológicos e portadores de doenças crônicas também não devem tomar a vacina. Na impossibilidade de adiar a vacinação, como em situações de emergências epidemiológicas, vigência de surtos, epidemias ou viagens para áreas de risco de contrair a doença, o médico deverá avaliar o benefício e risco da vacinação.
No caso de mulheres que estejam amamentando e receberam a vacina, o aleitamento materno deve ser suspenso preferencialmente por 28 dias após a vacinação.

A vacina pode causar efeitos colaterais?

De forma geral, a vacina produz poucos efeitos colaterais. Mas podem acontecer episódios de dor no local, dor de cabeça e febre, entre cinco a dez dias depois da aplicação.