Muitas pessoas hoje em dia tem plano de saúde vinculado ao emprego, porém ainda há muitas pessoas que optam pelo plano individual sem vínculo com a empresa na qual se trabalha. E, ao mesmo tempo, muitos ainda não sabem como cota um plano individual e os seus valores. Por conta desta demanda, existe o simulador de preço para planos de saúde.

Mas o que é plano de saúde?

O plano de saúde é um serviço oferecido por operadoras, empresas privadas, com intuito de prestar assistência médica e hospitalar.
A lei 9.656 de 1998 disciplinou as atividades das Operadoras de Plano à Saúde, pessoas jurídicas de direito privado constituídas sob a forma de sociedade civil ou comercial, cooperativa, ou entidade de autogestão, que operem produtos ou serviços de Plano Privado de Assistência à Saúde, conforme seu art. 1°, II. 
A lei fornece o conceito de Plano Privado de Assistência à Saúde, com sendo uma prestação continuada de serviços ou cobertura de custos assistenciais a preço pré ou pós estabelecido, por prazo indeterminado, com a finalidade de garantir, sem limite financeiro, a assistência à saúde, pela faculdade de acesso e atendimento por profissionais ou serviços de saúde, livremente escolhidos, integrantes ou não de rede credenciada, contratada ou referenciada, visando à assistência médica, hospitalar e odontológica, a ser paga integral ou parcialmente às expensas da operadora contratada, mediante reembolso ou pagamento direto ao prestador, por conta e ordem do consumidor.

Quais são os suas garantias quando se adquire um plano?

  • Consultas médicas ilimitadas, dias de internação hospitalar e em CTI;
  • Durante o período de internação hospitalar, estão cobertas as sessões e/ou consultas por outros profissionais de saúde (nutricionista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, entre outros) em número ilimitado, desde que solicitado pelo médico assistente. 
  • Consultas/sessões com os outros profissionais da saúde (psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, nutricionista) apresentam cobertura obrigatória na segmentação ambulatorial, desde que cumpridas as Diretrizes de Utilização (DUT), constantes no anexo II da RN 428/2017, em vigor, que estabelece número mínimo de sessões e transtornos abarcados;
  • Cirurgias por videolaparoscopia (menos invasivas e com menor risco aos pacientes) e radioterapia com IMRT (modulação da intensidade do feixe). No caso da radioterapia com IMRT, a cobertura só é obrigatória para tumores da região de cabeça e pescoço (com diretriz de utilização), áreas que possuem órgãos e glândulas mais sensíveis à radiação;
  • Medicamentos imunobiológicos para tratamento de artrite reumatoide e medicamentos imunobiológicos endovenosos para tratamento de artrite psoriática, doença de Crohn e espondilite anquilosante, nos planos ambulatoriais;
  • Obrigatoriedade do fornecimento de bolsas coletoras para pacientes ostomizados;
  • Obrigatoriedade de cobertura de procedimentos preventivos, restaurações, endodontia e de consultas e exames auxiliares ou complementares, solicitados pelo odontólogo assistente (quando incluir plano odontológico);
  • Obrigatoriedade de cobertura de cirurgias menores odontológicas, assim consideradas as realizadas em ambiente ambulatorial e sem anestesia geral (quando incluir plano odontológico).

O que é um simulador de plano?

O simulador é uma ferramenta para cotação aproximada de valor de planos de saúde sem obtenção de dados pessoais, apenas com algumas informações relevantes que interferem no preço do plano, como idade, número de dependentes e se o plano será para pessoa física (individual ou familiar) ou para empresas.
A ferramenta também realiza um orçamento comparativo de preços entre empresas e operadoras que oferecem este serviço.
Ou seja, um simulador é uma ferramenta facilitadora para quem quer cotar planos de saúde sem o comprometimento de divulgação de dados pessoais, sem nenhum comprometimento com qualquer operadora ou qualquer custo.

O que interfere no valor de um plano de saúde?

Os fatores que interferem no valor de um plano de saúde depende do tipo de plano de saúde.

Planos individuais

O ajuste conforme mudança de faixa etária é igual para qualquer tipo de plano, ou seja, sempre que você mudar de uma faixa etária para outra, o valor do seu plano vai subir. Essas mudanças acontecem dos 18 aos 59 anos, com intervalos de 5 anos. A primeira mudança acontece dos 18 para os 19, a seguinte com 24, depois com 29 e assim por diante, até os 59. E a partir dos 59 não existe mais mudanças de faixa etária.
Já o ajuste anual não funciona da mesma forma para todos os tipos de plano. Como o próprio nome diz, o ajuste ocorre na data de aniversário de cada contrato. Para planos de saúde individuais e familiares, esses ajustes são limitados pelo índice da ANS ( Agência Nacional de Saúde Suplementar), mas os planos podem aumentar menos do que o índice. 

Planos empresariais/coletivos

Ao contrário do que acontece nos planos individuais, nos planos de saúde coletivos os reajustes não são definidos pela ANS. Nesses casos, a Agência apenas acompanha os aumentos dos preços. Eles são reajustados através de livre negociação entre a operadora do plano de saúde e o representante do grupo contratante (empresa, fundação ou associação) e a ANS não interfere nessa negociação. Em 2018 o aumento máximo permitido pela ANS para planos de saúde individuais foi de 10%. 
O que interne no valor de reajuste no caso de plano de saúde empresariais (ou coletivos) são o número de sinistralidades e a taxa de inflação médica, esses dois fatores combinados são o que definem o valor de um plano de saúde empresarial.
Existem vários tipos de planos de saúde que são oferecidos por diversas operadoras em todo o país. Saber o seu perfil, analisar preços com o uso de um simulador e pesquisar bem é o caminho para escolher o melhor plano para você ficar livre de problemas futuros!