Muitos buscam outras soluções para doenças, incômodos e bem-estar através da medicina alternativa, sendo a fitoterapia é uma das áreas estudo dentro da medicina alternativa.

O que é fitoterapia?

O termo é relativo a utilização de plantas para o tratamento de doenças. Todo produto farmacêutico, seja extrato, tintura, pomada, ou cápsula, que utiliza como matéria-prima qualquer parte de uma planta com conhecido efeito farmacológico, pode ser considerado um medicamento fitoterápico.

Para isso, utilizam-se nas preparações diferentes partes da planta, como raiz, casca, flores ou folhas, sendo o chá a mais utilizada, preparado por meio da decocção ou infusão.

A fitoterapia permite o vínculo entre o homem e o ambiente, com o acesso ao poder da natureza, a fim de ajudar o organismo na normalização das funções fisiológicas prejudicadas, na restauração da imunidade, na promoção da desintoxicação e no rejuvenescimento.

Dessa forma, as plantas medicinais são importantes fatores para manter as condições de saúde das pessoas. Além das ações terapêuticas de diversas plantas utilizadas popularmente serem comprovadas, também têm sua importância na cultura, pois é um conhecimento que foi passado ao longo de gerações.

O que são medicamentos fitoterápicos?

Um medicamento fitoterápico é aquele alcançado de plantas medicinais, onde utiliza-se exclusivamente derivados de droga vegetal, tais como: suco, cera, exsudato, óleo, extrato, tintura, entre outros. O termo confunde-se com fitoterapia ou com planta medicinal que realmente envolve o vegetal como um todo no exercício curativo e/ou profilático. Os fitoterápicos são medicamentos industrializados e tem legislação específica. São uma mistura complexa de substâncias, onde, na maioria dos casos, o princípio ativo é desconhecido.

O que são plantas medicinais? 

São plantas utilizadas na cura e tratamento de doenças, na visão popular. Nem tudo aquilo que se usa para tratar determinada doença é bom e realmente serve. Precisamos tomar conhecimento de que, mesmo sendo um medicamento natural, as plantas podem causar problemas de saúde se forem usadas de maneira errada. 

Medicamento fitoterápicos e plantas medicinais: existe diferença?

Os fitoterápicos são considerados medicamentos produzidos a partir de partes de plantas (folha, caule, raiz, semente, etc.) cuja eficácia e segurança foi assegurada no tratamento de determinadas doenças. Passam por testes de qualidade e são registrados no órgão federal de vigilância sanitária (ANVISA) antes de serem comercializados.

Já a planta medicinal é a espécie vegetal. Partes da planta é utilizada para aliviar ou curar enfermidades com base em seu uso na população ou comunidade. Não são submetidas a um processo industrializado de fabricação e controle de qualidade. Normalmente é utilizada no preparo de chás.

Quais são os benefícios da fitoterapia?

A fitoterapia, assim como muitas modalidades da medicina alternativa, é uma alternativa barata e de fácil obtenção, porque as plantas podem ser encontradas até mesmo nas

vizinhanças de casas. Além disso, há muitas plantas que já tiveram sua eficácia comprovada cientificamente.

Existem malefícios na fitoterapia?

Muitas pessoas acreditam que por ter origens naturais que remédios fitoterápicos podem ser utilizados de forma irracional e sem orientação médica. Porém, assim como o medicamentos tradicionais, eles podem causar diversas reações como intoxicações, enjôos, irritações, edemas (inchaços) e até a morte.

Os cuidados com remédio fitoterápicos são os mesmos destinados aos outros medicamentos:

  • Buscar informações com os profissionais de saúde.
  • Informar ao seu médico qualquer reação desagradável que aconteça enquanto estiver usando plantas medicinais ou fitoterápicos.
  • Observar cuidados especiais com gestantes, lactantes, crianças e idosos.
  • Informar ao seu médico se está utilizando plantas medicinais ou fitoterápicos, principalmente antes de cirurgias.
  • Adquirir fitoterápicos apenas em farmácias e drogarias autorizadas pela Vigilância Sanitária.
  • Seguir as orientações da bula e rotulagem.
  • Observar a data de validade e nunca tomar medicamentos vencidos.
  • Seguir corretamente os cuidados de armazenamento.