Acupuntura, aromaterapia, medicina chinesa… Você provavelmente já ouviu falar alguma vez sobre alguma medicina alternativa, mas poucos sabem o que é realmente e todas as práticas que envolve esse tipo de medicina menos convencional. 

O que é?

Medicina alternativa são práticas e procedimentos não considerados partes da medicina convencional, também conhecida como alopatia, praticadas por médicos e profissionais como psicólogo, fisioterapeutas e enfermeiros.
As práticas como quiropraxia, terapias de massagem, produtos herbários ou botânicos, meditação, hipnose, yoga e outras, são considerados partes da terapia alternativa. Essas práticas têm como objetivo complementar e não substituir a medicina tradicional.
Pessoas têm recorrido à este métodos devido ao medo das cirurgias e das contra indicações que os medicamentos da medicina convencional podem causar. Por outro lado, as técnicas alternativas não usam drogas e nem se utiliza de cirurgias.
Na medicina alternativa, o paciente é tratado como um todo, envolvendo as características, físicas, mentais, emocionais e espirituais. Os procedimentos usados são totalmente diferentes dos tratamentos encontrados nos hospitais e é muito procurado por pessoas das classes média e alta da nossa sociedade.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as terapias alternativas podem ser definidas como um conjunto de práticas que seguem e fazem parte da tradição de cada país, não sendo reconhecida cientificamente. No entanto, é considerada como um complemento para a medicina tradicional e pode ser utilizada sem maiores problemas.

Quais são as modalidades?

As terapias alternativas possuem princípios de ação catalogados por seus organizadores e teóricos, e incluem diferentes formas de acesso. Para efeitos didáticos, quanto à forma deste acesso pode-se diferenciá-las em:

  • Terapias que adotam o uso interno de substâncias de origem vegetal, animal ou mineral, que podem ser concentradas (Ayurveda, Fitoterapia), diluídas (Homeopatia, Florais e Aromaterapia), ou que utilizam meios físicos (Hidrocólonterapia, Ayurveda, Acupuntura, Moxabustão e Quiropraxia);
  • Terapias que adotam o uso externo de substâncias de origem vegetal, animal ou mineral (Ayurveda, Cristaloterapia e Hidroterapia);
  • Terapias que não utilizam substâncias (Cromoterapia, Reiki e Calatonia).

Alguns dos exemplo mais comuns e usados são:

Shiatsu

O Shiatsu significa pressão com os dedos, sendo uma técnica extremamente antiga de massagem. Neste método, o massagista trabalha com a energia da pessoa, essa energia é denominada como ‘’Ki’’ e acredita-se que quando o Ki está em desequilíbrio leva a stress, dores, tensão e entre outros males. Existem clínicas especializadas na aplicação do Shiatsu e profissionais capacitados na área.

Homeopatia

A Homeopatia faz parte deste por desenvolver remédios extraídos de plantas, minerais, vegetais e entre outros componentes com a finalidade de oferecer uma prevenção e tratamento diferenciado para as doenças e pessoas sadias. A ideia da homeopatia é de que existe um desequilíbrio no organismo das pessoas, esse desequilíbrio pode ser restaurado por meio de medicamentos naturais e manipulados que estimulam o organismo a combater as doenças.

Fitoterapia

A fitoterapia consiste no uso exclusivo de plantas e das suas substâncias para o desenvolvimento de remédios com a finalidade do tratamento e prevenção de doenças que afetam o organismo do corpo humano. Diferente da homeopatia, não utiliza princípios ativos isolados de componentes como minerais. É considerada também uma terapia alternativa e pode ser utilizada na complementação de tratamentos realizados pela clássica medicina ocidental.

Acupuntura

Também originada dos antigos chineses, a acupuntura é uma técnica milenar onde se utiliza agulhas em determinados pontos do corpo humano para estimular as terminações nervosas e enviar mensagens até o cérebro e agindo diretamente no corpo. Pode ser utilizada para tratar doenças respiratórias, distúrbios de sono, problemas gastrointestinais e entre outros males e doenças. Não é reconhecida como uma prática médica, mas sim como complementar a medicina alternativa, existindo até pesquisas que comprovam a sua eficiência. Esta prática deve ser realizada apenas por especialistas e profissionais qualificados.

Aromaterapia

A aromaterapia utiliza de fragrâncias e óleos para estimular o bem-estar e a saúde do corpo humano. Por meio do olfato e de momentos diários de tratamento é capaz de tratar disfunções orgânicas e doenças psicológicas. Também é uma técnica bastante antiga e é muito utilizada para complementar a medicina tradicional. São extraídos óleos de plantas, raízes, ervas, sementes, madeiras e outros elementos encontrados na natureza para realizar os tratamentos.

Reflexologia

Esta técnica é utilizada pelos acupunturistas e fisioterapeutas. Consiste em pressionar e utilizar de pressão para equilibrar as energias do corpo, seguindo o mesmo princípio da acupuntura, estimular o corpo para combater doenças físicas e psicológicas por meio do controle do equilíbrio da energia. São realizadas pequenas massagens com a finalidade de curar os pontos que estão em desequilíbrio.

Medicina tradicional chinesa

A medicina tradicional chinesa engloba várias práticas que são classificadas como terapia alternativa. A acupuntura, massagem em pontos de pressão, queima de moxa, restauração do fluxo de KI, tudo está dentro da medicina tradicional chinesa. É uma arte antiga e bastante utilizada para complementar os tratamentos desenvolvidos pela medicina ocidental.
São consideradas também práticas de medicina alternativa:

  • Arte terapia;
  • Auriculoterapia;
  • Ayurveda;
  • Biodança;
  • Cromoterapia;
  • Fitoterapia;
  • Florais de Bach;
  • IridologiaMagnetoterapia;
  • Medicina natural;
  • Medicina ortomolecular;
  • Musicoterapia;
  • Osteopatia;
  • Quiropraxia;
  • Reflexoterapia;
  • Reiki;
  • Tratamento espiritual.

Benefícios x Malefícios:

As práticas de terapias alternativas podem oferecer muitos benefícios para a mente e corpo humano, como também podem causar malefícios à nossa saúde. Consulte um médico e experimente algum método que você se sinta seguro com o (sempre com acompanhamento de um profissional) e veja os resultados no seu corpo.

Benefícios

  • São tratamentos naturais;
  • Não possui contra indicações;
  • Os remédios são diretamente extraídos da natureza;
  • Evita efeitos colaterais;
  • Integração e harmonização do organismo;
  • Previne doenças;
  • Trabalha o corpo e a mente;
  • Melhora a qualidade de vida;

Malefícios

  • Não é aprovada por alguns médicos;
  • O processo pode ser lento;
  • Doses de substâncias terapêuticas podem causar danos à saúde;
  • Algumas pessoas envolvidas nessa prática não possuem formação médica (o que pode causar sequelas no paciente a ser tratado).

A medicina alternativa é eficaz?

A maioria dos métodos que estão classificados dentro desta modalidade não possuem uma eficácia comprovada, sendo a acupuntura é uma das práticas que mais possui estudos apresentando provas da sua funcionalidade. A maioria destas aplicações são seguras e podem ser realizadas sem maiores preocupações.
Não é recomendado substituir os tratamentos e medicamentos da medicina pela medicina alternativa, o ideal é apenas efetuar este tipo de tratamento com profissionais e com uma recomendação segura e sempre acompanhada por um profissional e exames regulares.

Cuidados com a medicina alternativa

É preciso ter cuidado ao adotar a medicina alternativa: terapeutas despreparados que fazem mau uso dos tratamentos podem até prejudicar a saúde dos pacientes. Além disso, ao utilizar chás, é essencial ter conhecimento da procedência das folhas e das ervas, bem como certificar-se de que não vão causar alergia.

E mais: é importante ter em mente que ela não deve ser utilizada para substituir a medicina convencional sem recomendação clínica, porém pode ser utilizada livremente como complemento e para trazer resultados melhores para o paciente e melhorar sua qualidade de vida!