O termo startup ainda é muito novo no mercado. Há quem diga que a palavra designa um grupo de pessoas trabalhando com uma ideia muito diferente e que, aparentemente, poderia gerar muito dinheiro. Outros falam que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser chamada de startup.
E ainda tem as pessoas que defendem que uma startup é considerada uma empresa com custos de manutenção bem baixos, mas que conseguem crescer muito rápido – gerando lucros gradativamente maiores. Mas para agradar aos demais especialistas, a definição mais atualizada seria que uma startup nada mais é do que um grupo de pessoas que procura por um modelo de negócio repetível e escalável, que trabalham em condições de incerteza extrema.
São muitos significados, mas startup sempre foi um sinônimo conhecido pelo início de uma empresa e seu funcionamento no mercado.
Um dos modelos mais famosos de negócio entre startups são o:

  •         Escalável: com crescimento lento, custos crescentes e capaz de um aumento na receita;
  •         Repetível: aquele que consegue entregar o mesmo produto/serviço em uma grande escala.

 

O que é?

Original dos Estados Unidos, ele ainda é considerado um termo recente, que se tornou popular em todo mundo por conta da bolha da internet – quando um grande número de “empresas.com” foram fundadas – entre os anos de 1996 e 2001.
Essa bolha fez com que as ações de todas as novas empresas referentes a tecnologia da informação e comunicação fossem alocadas no espaço da internet, gerando uma alta em torno da mídia. E foi assim que o termo “startup” se difundiu e se tornou famoso.
 

Termos

Mesmo tendo uma definição mais atualizada, ainda há outros termos dentro da startup que precisam ser explicados para entendermos mais sobre este modelo. No decorrer do artigo, iremos apresentar alguns modelos e tipos de startups.

Escalável

Quando falamos de escalável, queremos destacar que podemos crescer cada vez mais sem que isso impacte no modelo de negócios. Dessa forma, pode-se atingir muitos consumidores a baixos custos – fazendo a margem se tornar alta.
Junto com o modelo repetível, se torna uma das chaves para o sucesso de uma startup. Uma vez que esta tende a atingir muitos clientes e gerar um grande lucro de maneira muito rápida – sem o aumento drástico dos custos e sem a necessidade de uma customização para cada cliente em específico.

Repetível

Esse modelo de negócio significa que você é capaz de entregar o mesmo serviço ou produto em uma escala potencialmente ilimitada – sem muitas adaptações e customizações. Basicamente, queremos dizer que é possível replicar e reproduzir determinado serviço ou produto de maneira muito simples.
Geralmente, o repetível é visto junto com o escalável – por formarem uma dupla potencializadora, principalmente para negócios que acabaram de chegar no mercado.

Modelo de negócio

Nós caracterizamos um modelo de negócio como algo que pode funcionar para gerar um valor ao cliente – como na solução de problemas – e para a empresa, rentabilizando o negócio. Entretanto, seu foco não é apenas no produto, mas também em seu valor.
Esse é considerado um dos maiores desafios entre startups, pois o desenvolvimento de um modelo de negócio inovador pode ser difícil e requer um grande período para ser concretizado completamente.

O cenário de incertezas

É quando não há nenhuma garantia de que a ideia de seu modelo de negócio irá ser bem-sucedida no mercado. Muitas vezes, por não possuir nenhuma base para atingir o sucesso e não possuir uma verificação se a ideia será bem aceita previamente, torna-se um cenário de riscos e incertezas.
É normal ver que algumas startups dão uma guinada em seus produtos, serviços, público-alvo e conceitos até encontrarem seu modelo ideal. É por isso que se deve pensar no capital de risco – que é de extrema importância no quesito de iniciação e no desenvolvimento.
Uma das formas de conseguir lidar com as incertezas, é dando início a startup com um produto mínimo viável – que busca validar o modelo ajudando a compreender melhor o que o público-alvo deseja e gastando o mínimo possível. Após essa validação, as receitas começam a crescer, a empresa avança e ainda pode ser considerada sustentável.

Inovação

Quando falamos de inovar, queremos nos referir ao desenvolvimento de um modelo, serviço ou produto de negócio que foi pouco explorado ou que é completamente novo no mercado.
Ele pode apresentar diferenciais valorizados pelo mercado e percebidos como algo novo e superior em relação aos concorrentes – mostrando suas soluções previamente apresentadas para os problemas dos consumidores. Muitas vezes fazemos uso de recursos digitais, mas nunca se limitando a apenas isso.
 

Saiba os tipos de startup

Para entendermos melhor como funciona as startups, podemos dividi-las de maneiras variadas. Destacamos algumas que são usadas no mercado atual:

Large Company

São as grandes empresas que já estão atuando no mercado, mas precisam inovar em seu modelo de negócios e se reinventar constantemente para sobreviverem a enxurrada de novas startups – além de se adaptarem às atualidades e crescerem dentro dos novos contextos de mercado que se alteram constantemente.

Small Business

São os empreendedores que acabaram de iniciar neste mundo – que possuem pouca experiência e uma visão administrativa bastante limitada. Além disso, são eles que comandam e controlam a própria empresa, e não possuem muito interesse na expansão do negócio – apenas ficam focados em movimentar a economia local.

Scalable

São os empreendedores que encontram algum modelo de negócio com um potencial de crescimento e que precisa de alguns investimentos para fazer dar certo e crescer. Sendo assim, eles já estão atuando, mas necessitam do capital de risco para conseguir expandir. Eles também podem desenvolver o negócio apenas visando abrir capital na bolsa ou ser comprado por investidores futuros.

Buyable

São os empreendedores com grandes ideias, mas que precisam de capital de risco para torná-las uma realidade e tornar-se operacional em um modelo de negócio.

Social

Esses são os indivíduos que procuram fazer a diferença no mundo – ajudando outras pessoas a gerarem resultados positivos perante a sociedade, podendo ou não ter fins lucrativos, ou mesmo uma mistura de ambos.

Lifestyle

São aqueles empreendedores que são movidos por um sonho, aqueles que trabalham com uma ideia que são simplesmente apaixonados. Eles, geralmente, conseguem gerar renda – sem nunca deixar de fazer o que gostam já que não visam apenas dinheiro.