Você provavelmente já ouviu esse termo em algum lugar. Geralmente, o nome startup é dado para novas pequenas empresas, porém nem toda nova empresa pequena é uma startup, há outras características que definem este tipo de negócio. Mas, o que é startup?
O termo começou a ser popularizado nos anos 1990, quando houve a primeira grande “bolha da internet”. Muitos empreendedores com ideias inovadoras e promissoras, principalmente associadas à tecnologia, encontraram financiamento para os seus projetos, que se mostraram extremamente lucrativos e sustentáveis.
Naquele período, grande parte da explosão de empresas startup surgiu no Vale do Silício nos Estados Unidos, de onde saíram empresas como Google, Apple Inc., Facebook, Yahoo!, Microsoft, entre outras. Todas essas empresas são exemplos deste tipo de empresa que hoje estão fortemente solidificadas e são líderes nos seus setores de atuação no mercado.

O que é startup?

O termo startup significa o ato de começar algo, normalmente relacionado com companhias e empresas que estão no início de suas atividades e que buscam explorar atividades inovadoras no mercado. 
Uma empresa startup é uma empresa que tem um grupo de pessoas trabalhando em condições de extrema incerteza e com soluções a serem desenvolvidas com um modelo de negócio repetível, apto a entregar o mesmo produto ou serviço em grande escala, e escalável, capaz de aumentar receita, mas com custos crescendo em um ritmo lento.
Um modelo de negócio repetível e escalável é uma das chaves de sucesso de startups. Uma vez que este tende a atingir um grande número de clientes e gerar lucro de forma mais rápida, sem um aumento significativo dos custos e sem a necessidade de customizações para cada cliente específico.

Conceitos que definem uma startup:

Alguns conceitos que definem o que é startup:

Modelo de negócio

Refere-se a como o negócio funciona para gerar valor ao cliente (solucionar seus problemas) e para a empresa (rentabilidade do negócio). O foco não é apenas no produto, mas no seu valor. O maior desafio para empresas deste tipo é desenvolver um modelo de negócio inovador.

Inovação

Refere-se ao desenvolvimento de um produto, serviço ou modelo de negócio completamente novo ou ainda pouco explorado.
Apresenta diferenciais valorizados pelo mercado e percebidos como algo novo e superior em relação aos concorrentes e, sobretudo, às soluções previamente apresentadas para os problemas dos consumidores.
Por ter esse caráter inovador, muitas vezes utiliza-se recursos digitais, porém não é uma regra.

Repetível

Ser repetível significa que o modelo de negócio é capaz de entregar o mesmo produto ou serviço em escala potencialmente ilimitada sem muitas customizações e adaptações. Ou seja, é possível replicar e reproduzir a experiência do produto ou serviço de forma simples.

Escalável

Significa crescer cada vez mais sem que isso influencie no modelo de negócios. Podendo atingir rapidamente um grande número de consumidores a custos baixos, tornando a margem mais alta.

Incertezas

Na grande maioria da vezes, o cenário de uma startup é de incerteza, que significa que não há garantias de que a ideia do modelo de negócio irá dar certo e será bem-sucedida por ser uma ideia nova onde não há onde há dados antigos para se basear.
Esse cenário é considerado incerto até que o modelo de negócio comece a mostrar que vai vingar e sua receita comece a crescer. Caso o modelo inicial não se mostre assim, é necessário repensar e até mesmo reinventar todo o modelo. O que pode significar a necessidade de um novo montante de investimento, sendo que é muito comum as startups pivotarem seus conceitos, produtos, serviços e públicos-alvo, por exemplo, até encontrarem o modelo ideal.

Tipos:

As startups podem ser divididas de algumas formas, como:

Small-Business

Empreendedores iniciantes, com pouca experiência e visão administrativa limitada. Que comandam e controlam a própria empresa e não tem muito interesse em expandir o negócio, apenas movimentam a economia local;

Scalable 

Empreendedores que encontram um modelo de negócio com grande potencial de crescimento e que necessita de investimento para crescer. Ou seja, já funcionam, mas precisam de capital de risco para expandir. Os mesmos visam, inclusive, desenvolver o seu negócio para abrir capital na bolsa ou ser comprado por investidores no futuro;

Lifestyle

Empreendedores que são movidos por um sonho e trabalham com uma ideia que amam. Tais empreendedores geram renda, mas sem deixar de fazer o que gostam já que não visam apenas dinheiro;

Buyable

Empreendedores com uma grande ideia e que precisam, então, de capital de risco para concretizá-la e instrumentalizar um modelo de negócio;

Social

Pessoas que têm a ideia de fazer a diferença no mundo, ajudar outras pessoas e gerar resultados positivos para a sociedade, com ou sem fins lucrativos, ou mesmo uma mistura de ambos;

Large-company

Grandes empresas que já estão no mercado e precisam inovar seu modelo de negócio e se reinventar constantemente para sobreviverem, se adaptarem e crescerem nos novos contextos do mercado que está sempre se alterando.

Modelos de negócios:

B2B ou Business to Business

Atendem necessidades de outras empresas, não de um consumidor final diretamente;

B2C ou Business to Consumer

Atendem as necessidades de um consumidor final;

B2B2C OU Business to Business to Consumer

Fazem negócios com outras empresas visando atender à necessidade de um consumidor final.

Startup e o empreendedorismo:

Incerteza é um fator que reina em empresas deste tipo, portanto, não é qualquer pessoa que está disposta a entrar nessa, é preciso ter algumas características para empreender:

  • Autonomia: esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas abandonam seus empregos e se tornam empreendedores. Trata-se da capacidade de assumir a responsabilidade pelas suas decisões e a independência na definição de seu sucesso.
  • Dedicação: não existe empreendedorismo sem comprometimento e determinação. Sabe aquela história de apenas 10% de inspiração de 90% de transpiração?
  • Disposição para se arriscar: não existe nenhum cenário em que o empreendedor não assuma algum tipo de risco. Muitas pessoas bem-sucedidas creditam o seu aprendizado e a sua evolução à capacidade de assumir riscos, de aprender com os erros e de perseverar a cada ocasião.