Saiba tudo sobre o antibiótico Azitromicina!

A Azitromicina é um antibiótico indicado para tratar infecções, como infecções do trato respiratório inferior (incluindo bronquite e pneumonia) e infecções da pele e tecidos moles. Pode ser usado também para tratar infecções da pele e músculos, doenças sexualmente transmissíveis em homens e mulheres ou cancro na pele causado por bactéria Haemophilus ducreyi.

O que é?

É um antibiótico usado para tratar infecções causadas por bactérias sensíveis ao antibiótico; em infecções do trato respiratório inferior (brônquios e pulmões) e superior (nariz, faringe, laringe e traqueia), incluindo sinusite (infecção nos seios da face), faringite (inflamação da faringe) ou amigdalite (inflamação das amígdalas); infecções da pele e tecidos moles (músculos, tendões, gordura); em otite média (infecção do ouvido médio) aguda e nas doenças sexualmente transmissíveis não complicadas nos genitais de homens e mulheres.

É também indicado no tratamento de cancro (lesão de pele) devido a Haemophilus ducreyi (espécie de bactéria). Infecções que ocorrem junto com sífilis (doença sexualmente transmissível) devem ser excluídas.

ATENÇÃO: Antes de usar este medicamento, informe ao seu médico se você é alérgico à azitromicina, eritromicina ou a qualquer um dos antibióticos macrolídeos, ou ainda a qualquer componente presente na fórmula do medicamento!

Quais outros medicamentos que interagem com a Azitromicina?

Alguns medicamentos podem interagir com a Azitromicina, podendo potencializar ou até cortar o efeito deste medicamento. Por isso, fique atento em relação a combinação de medicamentos que você usa.

  • Antiácidos

Podem reduzir os picos de concentração plasmática da azitromicina, contudo sem alterar sua biodisponibilidade.

  • Digoxina

Deve ser considerada a possibilidade de um aumento nos níveis de digoxina no sangue.

  • Ciclosporina

Se for necessário que sejam usados em conjunto, a quantidade de ciclosporina no sangue deve ser monitorada e a dose deve ser ajustada adequadamente.

  • Carbamazepina

Se for necessário que sejam usados em conjunto, a quantidade de carbamazepina no sangue deve cuidadosamente ser monitorada.

  • Varfarina

Podem ser usados em conjunto, mas a monitoração do tempo de protrombina deverá ser realizada.

Deve-se monitorar também (com acompanhamento médico e exames de sangue avaliando níveis das medicações) pacientes que utilizam conjuntamente com o fármaco em destaque e outros medicamentos, como: digoxina, colchicina, zidovudina e anticoagulantes orais.

Nomes comerciais

Este medicamento pode ser encontrado sob a forma genérica ou através dos seus nomes comerciais:

  • Astro;
  • Azi;
  • Azimed;
  • Azitromed;
  • Azimix;
  • Azitrolab;
  • Azitron;
  • Clindal;
  • Selimax Pulso;
  • Tromizir;
  • Zidimax;
  • Zimicina;
  • Zithromax;
  • Zitroneo;

Como usar?

O modo de usar é feito de acordo com o tipo de doença, a dosagem pode ser de 1000 mg em dose única ou 500 mg, por dia, durante, aproximadamente, 3 dias. No entanto, a dosagem, tempo de tratamento e adaptação da dosagem a cada pessoa deve ser indicado pelo médico após avaliação dos sintomas e das doenças.

Uso em adultos

Para o tratamento de doenças sexualmente transmissíveis causadas por bactérias a dose é de 1.000 mg, em dose oral única. Para todas as outras indicações nas quais é utilizada a formulação oral, uma dose total de 1.500 mg deve ser administrada em doses diárias de 500 mg, durante 3 dias.

Uso em crianças

A dose máxima total recomendada para qualquer tratamento em crianças é de 1.500 mg. Comprimidos revestidos deve ser administrado somente em crianças pesando mais que 45 kg. Em geral, a dose total em crianças é de 30 mg/kg. No tratamento da faringite estreptocócica pediátrica deve ser administrada sob diferentes esquemas posológicos. A dose total de 30 mg/kg deve ser administrada em dose única diária de 10 mg/kg, durante 3 dias. Uma alternativa para o tratamento de crianças com otite média aguda é dose única de 30 mg/kg.

Uso em pacientes idosos

A mesma dose utilizada em pacientes adultos é utilizada em pacientes idosos.

Uso em pacientes com insuficiência renal (diminuição da função dos rins)

Não é necessário ajuste de dose em pacientes com insuficiência renal leve a moderada. No caso de insuficiência renal grave, deve ser administrado com cautela.

Uso em pacientes com insuficiência hepática (diminuição da função do fígado)

As mesmas doses administradas a pacientes com a função hepática normal podem ser utilizadas em pacientes com insuficiência hepática leve a moderada. Entretanto, pacientes com insuficiência hepática grave devem utilizar este medicamento com cuidado.

Para tratamento de doença inflamatória pélvica

A dose recomendada intravenosa para o tratamento de pacientes adultos com doença inflamatória pélvica (infecção dos órgãos genitais internos) causada por organismos sensíveis é de 500 mg, em dose única diária, por via intravenosa, durante 1 ou 2 dias. A substituição do tratamento intravenoso pelo tratamento oral deve ser estabelecida a critério médico, de acordo com a resposta clínica.

Quais são os efeitos colaterais?

Este fármaco, assim como muitos, pode causar alguns efeitos colaterais, mas os mais comuns que podem ser causados por ele são:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Desconforto abdominal;
  • Alteração no funcionamento do fígado com aparecimento de icterícia;
  • Perda de audição devido a toxicidade no ouvido;
  • Alterações nos valores do exame de sangue como redução das células de defesa ou plaquetas;
  • Alterações no batimento cardíaco;
  • Baixa da pressão arterial;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Perda de apetite.

Gestantes podem usar a Azitromicina?

Não use este medicamento durante a gravidez sem orientação médica.

Quem não pode usar?

O uso deste medicamento não é recomendado para uso por alguns grupos, como por exemplo:

  • Mulheres grávidas ou que estejam a amamentar;
  • Pacientes com alergia a ele ou qualquer componente da fórmula;
  • Pessoas com histórico de reações alérgicas ou hipersensibilidade à azitromicina, eritromicina ou a qualquer um dos antibióticos macrolídeos.
Nathalia Guimaraes

Nathalia Guimaraes

Formada em jornalismo, amante de arte, cultura e moda, tem como objetivo trazer informações relevantes e criar o melhor conteúdo para a plataforma da Vitta!

Deixe o seu comentário