Saiba identificar os sintomas de dengue!

Quais os sintomas de dengue?

É fundamental saber quais os sintomas de dengue e como eles atacam o organismo. Antes de sabermos mais sobre a doença, entenda quais os principais sinais que podem ocorrer, sendo eles:

  •         Mal-estar;
  •         Febre alta (maior que 38,5º C);
  •         Dor nos olhos;
  •         Dores musculares intensas;
  •         Dor ao movimentar os olhos;
  •         Dor de cabeça;
  •         Falta de apetite;
  •         Manchas vermelhas no corpo.

Apesar desses principais sintomas, a dengue pode ser assintomática – que não apresenta sintomas – leve ou grave, podendo até mesmo levar a óbito.

De modo geral, os sintomas de dengue mais gritantes é a febre alta, que tem um início súbito e pode durar entre 2 a 7 dias – acompanhando sintomas de dor de cabeça, fraqueza, dor nos olhos, coceira na pele, erupção e dores no corpo e articulações. As manchas vermelhas na pele também pode ser um indício.

Na fase febril inicial da doença, pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui  os sintomas de dengue de dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados!

 

Há cura para a dengue?

A dengue é uma infecção que, quando não está em um estado grave, pode ter uma cura espontânea – na maioria dos casos – após 10 dias sob o tratamento adequado.

A principal complicação da doença é quando ocorre um choque hemorrágico, que é quando se perde cerca de 1 litro de sangue, o que faz com que o coração perca sua capacidade de bombear o sangue necessário para todo o corpo – podendo desencadear problemas graves em vários órgãos e colocando a vida da pessoa em risco.

Como toda infecção, pode levar ao desenvolvimento Síndrome de Gulliain-Barre – um distúrbio autoimune que ataca a parte do sistema nervoso – , encefalite e outras complicações neurológicas.

 

Graus de cuidado

Suspeito

Caracterizamos pelos indivíduos que estão com suspeita de dengue. Pessoas que viajaram nos últimos 15 dias para áreas onde estejam ocorrendo transmissão de dengue, que apresentem febre nos últimos 5 dias, e apresente duas ou mais dos seguintes sintomas de dengue:

  •         Dor de cabeça;
  •         Náuseas e vômitos;
  •         Erupção cutânea;
  •         Leucopenia;
  •         Dores musculares;
  •         Manchas vermelhas;

Suspeito com sinais de alerta

São considerados sinais de alerta aqueles pacientes que possuem um período febril e que apresentem um ou mais sintomas, como:

  •         Vômitos persistentes;
  •         Dor abdominal intensa e contínua;
  •         Dor a palpação de abdômen;
  •         Sangramento de mucosas;
  •         Aumento progressivo do hematócrito;
  •         Acumulação de líquidos – derrame pleural, pericárdico, ascites.
  •         Apatia ou irritabilidade;
  •         Pressão baixa ao levantar-se;
  •         Fígado aumentado (mais de 2cm).

Suspeito de dengue grave

Esse é um caso que requer atenção e cuidado médico. Quando o paciente apresenta um ou mais dos sintomas a seguir:

  •         Sangramento grave (segundo avaliação médica; ex: melena, hematêmese etc.);
  •         Comprometimento grave de órgãos, como danos no sistema nervoso central, coração e entre outros;
  •         Choque devido a extravasamento grave de plasma provocado por taquicardia;
  •         Extremidades frias e tempo de enchimento capilar igual ou maior que 3 segundos;
  •         Acumulação de líquidos com insuficiência respiratória;
  •         Pressão baixa em fase tardia;
  •         Pulso débil.

 

O que é dengue?

Podemos definir a dengue como sendo uma grave doença febril causada por um vírus – mais especificamente um arbovírus. Esse tipo se caracteriza como sendo transmitido pela picada de insetos, esse em específico o mosquito, o Aedes aegypti.

Há quatro tipos de vírus da dengue – o sorotipo, o 1, 2, 3 e 4. Uma pessoa pode ter os quatro sorotipos da doença, mas a infecção por um sorotipo gera uma imunidade permanente a ele. O transmissor da dengue, o Ae. Aegypti, precisa da água parada para conseguir se proliferar. Os períodos chuvosos são os meses em que deve se manter uma atenção dobrada quanto a higiene e as águas paradas – pois os ovos do mosquito podem sobreviver por 12 meses até encontrar as melhores condições para sua desenvoltura.

Todas as faixas etárias são igualmente suscetíveis, porém as pessoas mais velhas têm maior risco de desenvolver dengue grave e outras complicações que podem levar ao óbito. O risco de gravidade e morte aumenta quando a pessoa tem alguma doença crônica – como diabetes e hipertensão, mesmo tratada adequadamente.

 

Transmissão

A dengue é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti – que após picar uma pessoa infectada com um dos 4 sorotipos do vírus, a fêmea pode transmitir o vírus para outras pessoas. Há também alguns registros de transmissão por transfusão de sangue. Os sintomas de dengue podem ser observados dias depois.

Não há transmissão da mulher grávida para o feto, mas a infecção por dengue pode levar a mãe a abortar ou ter um parto prematuro, além da gestante estar mais exposta para desenvolver o quadro grave da doença, que pode levar à morte.

Em populações vulneráveis, como crianças e idosos com mais de 65 anos, o vírus da dengue pode interagir com doenças pré-existentes e levar ao quadro grave ou gerar maiores complicações nas condições clínicas de saúde da pessoa.

Sendo assim, é de suma importância combater o mosquito da dengue – fazendo a limpeza adequada e não deixando água parada em vasos de plantas, pneus, garrafas e outros recipientes que possam servir de reprodução do mosquito!

 

Tratamento

Não existe nenhum tratamento específico para a doença. Quando há casos de suspeita, é necessário procurar um profissional da saúde para que ocorra o diagnóstico correto.

Muitas vezes, o tratamento consiste em aliviar os sintomas, e pode variar de acordo com o quadro clínico de cada indivíduo. Podendo ser recomendado a ingestão de bastante água, evitar o uso de medicamentos sem prescrição e o repouso. Também pode ser necessário a hidratação por via intravenosa

 

 

Liz Uyesaka

Liz Uyesaka

Estudante de Design Digital, começou a escrever artigos para mídias sociais logo no início do colégio. Apaixonada por escrita, tem como objetivo informar e trazer o melhor conteúdo para a plataforma da Vitta!

Deixe o seu comentário