Tuberculose: O que é, quais são seus sintomas e formas de prevenção!

O que é

A tuberculose é uma doença infecciosa, e que é transmissível pelo ar. Essa condição afeta principalmente os pulmões, embora possa também afetar outros órgãos e/ou sistemas do corpo. Esta doença é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também chamada de “bacilo de Koch”.

Você sabia? Que a cada ano, são registrados aproximadamente 70 mil casos novos e ocorrem cerca de 4,5 mil mortes decorrentes da tuberculose, no Brasil.

Manifestações da tuberculose 

Tuberculose pulmonar

Esta é a forma mais comum da doença, e como o próprio nome diz, afeta apenas os pulmões.

Tuberculose extrapulmonar

A forma extrapulmonar atinge outros órgãos além do pulmão. Este tipo de complicação é mais frequentemente observado em pessoas que vivem com o HIV, ou que tem um maior comprometimento do sistema imunológico.

Sintomas

O principal sintoma desta complicação médica é a tosse em sua forma seca ou produtiva. Por isso, é recomendado investigar a presença da bactéria causadora da doença em quadros de tosse com duração de um período de três semanas ou mais. 

Outros sintomas que também podem estar presentes, juntos da tosse, são:

  • Febre durante o dia;
  • Sudorese noturna;
  • Perda de peso ou emagrecimento;
  • Cansaço e fadiga.

Transmissão 

Esta é uma doença que é transmitida por via aérea, ou seja, pelo ar. Isso pode acontecer de diversas maneiras, sendo a forma mais comum resultado da inalação de aerossóis que são propagados por meio da fala, de espirros ou da tosse de pessoas com a bactéria da doença ativa. 

Os bacilos que ficam sob roupas, lençóis, copos e outros objetos são dificilmente capazes de se dispersar em aerossóis e, por isso, não têm grande influência na transmissão.

Com o início do tratamento, a transmissão tende a diminuir gradativamente e, de modo geral, após 15 dias de tratamento, pode ser bastante reduzida.

O ideal, para prevenir a transmissão dessa condição, é tomando algumas medidas de controle. Hábitos e atitudes bem simples podem fazer com que a incidência da tuberculose diminua, como por exemplo: 

  • Cobrir a boca com o braço ou lenço ao tossir ou espirrar; 
  • E manter o ambiente em que se vive bem ventilado e com bastante luz natural. 

Essas medidas funcionam devido a bactéria da complicação ser sensível à luz solar, e a circulação do ar possibilitar a dispersão das partículas infectadas. Com isso, conclui-se que ambientes ventilados e com luz natural direta reduzem com o alcance e o risco de transmissão da doença.

Tratamento 

O tratamento da tuberculose tem duração de no mínimo, seis meses. O governo federal oferece esse tratamento gratuitamente, disponibilizando-o por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e realizando-o de preferência pelo método terapêutico de Tratamento Diretamente Observado (TDO).

O TDO é indicado como a principal ação de apoio e monitoramento de terapia médica para as pessoas com tuberculose.O tratamento é realizado sob a observação da ingestão dos medicamentos pelo paciente. A observação é desempenhada por um profissional de saúde ou até mesmo por outros profissionais capacitados, como por exemplo, os assistentes sociais. Desde que estes outros profissionais (como os assistentes sociais) estejam sendo supervisionados e acompanhados por um profissional da saúde, o TDO pode ser realizado sem empecilhos.

Esse tratamento deve ser realizado, idealmente, em todos os dias úteis da semana. O local e o horário para a realização do tratamento deve ser acordado entre a pessoa e o serviço de saúde.

A pessoa com tuberculose deve ser orientada, de forma clara, quanto às características da sua complicação e do tratamento a que ela será submetido. Orientá-la sobre o uso dos medicamentos, a duração e regime do tratamento, o benefício do uso regular dos fármacos, e das possíveis consequências devido ao uso irregular dos mesmos e eventos adversos.

São utilizados quatro fármacos para o tratamento dos casos de tuberculose que utilizam o esquema básico. Dentre estes, estão: 

  1. Rifampicina; 
  2. Isoniazida; 
  3. Pirazinamida;  
  4. Etambutol.

É muito importante destacar, que todas as pessoas que seguem o tratamento corretamente ficam curadas da doença. Então, comprometa-se em segui-lo

Prevenção 

A principal maneira de prevenir a essa doença em crianças é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), que é disponibilizada de maneira gratuita pelo SUS. Esta vacina deve ser dada às crianças ao nascer, ou, no máximo, até os 4 anos de idade. Ela está disponível nas salas de vacinação das unidades básicas de saúde e também em maternidades.

A vacinação faz com que a criança fique imune das formas mais graves da doença, como as que atingem a pele e a meníngea. 

Outra maneira de prevenir-se da doença é avaliando o contato de pessoas com a bactéria da doença, que permite identificar a Infecção Latente pelo Mycobacterium tuberculosis, o que possibilita prevenir o desenvolvimento de tuberculose ativa. Em outras situações específicas, pessoas que são diagnósticas com a infecção latente da tuberculose também têm indicação de receber tratamento para prevenir o adoecimento. Neste caso, é necessário procurar um profissional para avaliação mais assertiva.

Além disso, outra medida de prevenção da doença é manter os ambientes bem ventilados e com entrada da luz solar.

Tuberculose e HIV

A tuberculose é a doença infecciosa mais frequente nas pessoas vivendo com HIV, possuindo desta maneira um grande impacto na qualidade de vida e na mortalidade desse grupo da população. 

Você sabia? Que uma pessoa HIV positiva tem 28 vezes mais chances de contrair tuberculose do que uma pessoa que não tem HIV. 

Infecção conjunta

A TB-HIV é a principal causa de morte em pacientes com aids, e é interessante destacar que no ano de 2015, 22% das pessoas diagnosticadas com a infecção conjunta dessas doenças foram levadas ao óbito. Levando esse dado em consideração, o Ministério da Saúde recomenda que, em toda e qualquer oportunidade de atendimento médico, pessoas HIV positivas têm de passar por uma investigação para tuberculose. Da mesma forma, todas as pessoas diagnosticadas com tuberculose devem ser examinadas e investigadas em relação ao HIV.

É de extrema importância iniciar rapidamente o tratamento antirretroviral, para ter um impacto significativo na expectativa de vida das pessoas diagnosticadas com tuberculose e coinfectadas com HIV, a fim de reduzir, com isso, o número de óbito da coinfecção.

Andre Scarpitta

Andre Scarpitta

Formado em Publicidade e Propaganda, começou a escrever poemas e textos autorais desde a infância. Amante de arte urbana e cultura de rua, tem como objetivo trazer informações relevantes e criar o melhor conteúdo para o blog da Vitta!

Deixe o seu comentário