O dorso humano é composto por uma estrutura complexa de músculos, ligamentos, tendões, discos e ossos que trabalham juntos para apoiar o nosso corpo e permitir a locomoção. Muitas pessoas, no mundo todo, sofrem alguma vez na vida com alguma dor na coluna. Na maioria dos casos, a dor não é causada por nada grave e melhora com o tempo.
Em alguns casos, no entanto, este incômodo pode representar algo mais sério e até mesmo indicar um sintoma de alguma doença. 
Você sabia? O sono precário e mal aproveitado influencia na dor na coluna!

O que é?

Os segmentos da coluna são almofadados com estruturas semelhantes à cartilagem (discos). Problemas com qualquer um desses componentes podem levar às dores nas costas. Em alguns casos, sua causa permanece incerta.
Os danos podem ser resultado de tensões, condições médicas e má postura.
Felizmente, você pode tomar medidas para prevenir ou aliviar a maioria dos episódios de aflição.

O que causa?

As principais causas deste tipo de dor são: a lombalgia, também conhecida como dor na coluna lombar, a hérnia de disco e a artrose.
Sabe aquela bolsa ou mochila pesada, o tempo que você fica com o pescoço para baixo olhando a tela do celular ou quando você se senta de qualquer jeito diante do computador e da TV? Pois é, tudo isso impacta diretamente a coluna, causando desconforto e até mesmo dor. O estilo de vida que levamos é um fator importante, pois sedentarismo, excesso de peso, idade, esforços físicos repetitivos influenciam a saúde e, consequentemente, nas nossas dores!

De onde vem a dor na coluna?

Geralmente, tem origem em alterações nos discos intervertebrais, nos ligamentos, músculos e nervos, e podem partir de diferentes regiões do corpo. Os problemas na coluna também costumam ser responsáveis por incômodos nos braços e pernas e por dores de cabeça persistentes. Além disso, ela também pode ter origem inflamatória, tipo que afeta 3% dos adultos.
Alguns casos de dor nas costas podem ser resultado de uma inflamação do nervo ciático, o principal nervo dos membros inferiores, que controla as articulações dos quadris, joelhos e tornozelos.

Existem tipos de dor na coluna?

Hérnia de disco

A hérnia de disco é uma das causas mais comuns de dores na coluna. Ela ocorre quando parte de um disco intervertebral sai da posição normal e acaba comprimindo as raízes nervosas ramificadas a partir da medula espinhal.
O sedentarismo, o excesso de peso e as atividades físicas que precisam de um grande esforço podem provocar a hérnia de disco, que também pode ser causada por conta de movimentos repetitivos no trabalho que exigem muito dos músculos das costas. Há evidências, ainda, que a genética também possa desempenhar um papel importante no desenvolvimento das hérnias.

Lombalgia

Caracterizada por uma dor na região lombar, localizada na parte baixa da coluna próxima à bacia, a lombalgia pode ser de dois tipos quanto à sua duração:

  • Aguda: popularmente conhecida como o “travamento das costas” que pode acontecer por vários motivos, como a musculatura cansada e dolorida por conta de uma sobrecarga, por exemplo. A dor leva de 4 a 6 semanas para desaparecer, se tratado corretamente.
  • Crônica: nesse caso, a dor leva mais de 12 semanas para desaparecer. A evolução da fase aguda para a fase crônica não é muito comum.

Geralmente, a lombalgia é causada por problemas de postura ao sentar-se, deitar-se, abaixar-se ou carregar algum objeto muito pesado. Também há casos em que ela ocorre por conta de inflamações, infecções, hérnias de disco, artrose e até por problemas emocionais.

Espondilite anquilosante

É uma doença sem cura que causa inflamação crônica nas articulações do corpo, como a coluna, os joelhos, o quadril e os ombros. Ela também pode afetar outras partes do corpo, como os olhos, por exemplo.
A espondilite anquilosante faz as vértebras da coluna se fundirem, tornando-a menos flexível. Geralmente, o resultado é uma postura mais curvada para frente.
Ainda não existe uma causa conhecida que leva à doença, mas sabe-se que existe um fator genético que a facilita — chamado HLA-B27. 
Em geral, estes são os fatores de risco:

  • Ser adulto jovem ou adolescente e do sexo masculino, pois a incidência é maior entre os homens;
  • Ter herdado o marcador genético HLA-B27, embora quem tenha herdado não desenvolverá obrigatoriamente a doença.

Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória que causa dores nas articulações e deformações com o passar do tempo. A parte superior da coluna cervical também pode ser afetada e danificada pela inflamação.
Assim como a espondilite anquilosante, também não se sabe ao certo a causa da artrite reumatoide. Acredita-se que ela seja causada devido a um ataque ao tecido que cobre as articulações (chamado de sinóvia) pelo sistema imunológico do corpo.
A doença é mais comum de ocorrer em mulheres entre os 20 e 50 anos de idade.

Escoliose

A característica mais comum da escoliose é a deformidade da coluna vertebral em forma de curva, podendo ser acompanhada de rotação das vértebras. Dentre os vários tipos, existem três que ocorrem com mais frequência:

  • Escoliose congênita: ocorre na formação das vértebras ou na fusão dos ossos da coluna do recém-nascido ou feto;
  • Escoliose neuromuscular: é causada por problemas neurológicos que determinam fraqueza dos músculos, controle precário deles ou paralisia causada por doenças como pólio, distrofia muscular ou espinha bífida;
  • Escoliose idiopática: não tem causa conhecida e pode ocorrer em crianças, adolescente e jovens em fase de imaturidade do esqueleto.

Como prevenir e tratar?

Alguns cuidados podem fazer muita diferença ao tratar esse tipo de dor, atuando a curto e longo prazos. E o primeiro passo é manter os músculos fortes e adotar uma boa postura.
Quando o problema é mais grave e compromete os discos intervertebrais ou as vértebras, o ortopedista pode solicitar a realização de cirurgia para restaurar essas estruturas. Ainda assim, um tratamento com fisioterapia pode adiar casos de cirurgia e até vir como um tratamento complementar. Confira alguns tratamentos para prevenir e tratar estes tipos de dores:

Compressas mornas

As compressas de água quente ou de gel, encontradas facilmente em farmácias, ajudam bastante. Ao aplicar a compressa morna sobre o local da dor, ela relaxa a musculatura, e aumenta o fluxo de sangue, proporcionando alívio. 

Alongamentos

Os exercícios de alongamento podem aliviar (e muito) a este tipo de incômodo. Isso acontece porque eles desenvolvem a amplitude dos movimentos, promovendo o relaxamento muscular. 

Fisioterapia

Os tratamentos fisioterápicos podem ser muito úteis para tratar a dor na coluna. Por utilizarem aparelhos, exercícios e massagem terapêutica, ajudam bastante no fortalecimento da musculatura da região das costas.

Reeducação Postural Global (ou RPG)

A reeducação postural global é um tratamento realizado de forma individual, no qual o fisioterapeuta aplica técnicas e exercícios para melhorar a postura e a dor, melhorando a vida do paciente.
Como utiliza conceitos de cadeia muscular, exercita a globalidade do corpo, tratando dores e a má postura por meio de sessões que trabalham a maioria da musculatura e todas as articulações. Ela também é recomendada para quem tem grande curvatura na coluna vertebral, escoliose, entre outros problemas. 

Pilates

O pilates é uma técnica que estimula o fortalecimento e alongamento do corpo e já tem muitos adeptos. É um tratamento fitness que promove uma postura adequada e alinhamento das articulações a partir do fortalecimento da musculatura estabilizadora.
O pilates utiliza aparelhos para realizar atividades que proporcionam alongamento, aumento da força muscular e maior resistência da musculatura global da coluna, que é a estrutura que promove boa postura e estabilização. O mais importante é que o pilates aumenta a força e o condicionamento físico sem gerar lesões causadas por posturas indevidas.

Reequilíbrio da Coluna Vertebral (ou RVC)

Esse tratamento é indicado para quem sofre com dores agudas e crônicas, como hérnia de disco, dor ciática, escoliose, lombalgia, entre outros.